NOTÍCIAS
Crise hídrica atinge sul do Estado e casas estão sendo abastecidas por caminhão pipa
O Espírito Santo vive uma das piores secas de sua história, e em várias regiões, a água já não chega às residências. No sul do Estado, várias cidades já foram afetadas e muitos moradores estão sem água. No interior, os produtores sofrem com a falta de água para cuidar dos animais e cultivar a plantação.
 
Em Cachoeiro de Itapemirim, no interior, seis localidades estão sendo abastecidas por carros pipa com água potável: duas no Timbó, uma em Retiro, uma em Serrinha (próximo a Soturno), uma no Alto da Tijuca e uma Alto Bebedouro (Córrego dos Monos), de acordo com a Defesa Civil do município. Ainda no interior, 61 propriedades estão sendo abastecidas por carros pipa com água bruta, voltada para consumo animal.
 
Na sede, a Odebrecht Ambiental, concessionária responsável pelo abastecimento, afirma que a situação é preocupante. Contudo, a captação de água para tratamento e distribuição à população está normal. 
 
Por meio de nota, a empresa garante que até o momento, pelo acompanhamento diário da vazão do rio, os números continuam indicando que não há necessidade de racionamento. Caso esse acompanhamento venha a apontar, no futuro, a necessidade de alguma medida deste tipo, a empresa irá informar à população com a devida antecedência.
 
A vazão do rio Itapemirim neste ano tem sido menor que a de 2015. Para se ter uma dimensão da situação, em agosto de 2015 a média da vazão do rio foi de 15.700 litros por segundo, enquanto em agosto deste ano foi de 7.000 litros por segundo. 
 
A nota diz ainda que se a falta de chuva persistir por um período ainda muito maior, a Odebrecht Ambiental, com base no monitoramento diário da vazão do rio e no impacto que a vazão estiver tendo na captação de água para abastecer Cachoeiro, amparada pela instrução normativa número 01/2016, do IEMA, tomará as devidas providências para garantir o abastecimento de água para a população.
 
Campanha para evitar o desperdício
 
Segundo a empresa, o fato de Cachoeiro estar atravessando a crise hídrica sem racionamento, até então, deve-se a adequações e investimentos realizados, desde 1998, para modernização e ampliação do sistema de água.
 
Em 2014, a concessionária concluiu a construção de mais um reservatório de água, que proporcionou um aumento de 40% na reserva existente. Atualmente, são, ao todo, 33 reservatórios em pleno funcionamento, monitorados pelo Centro de Controle Operacional, em tempo real. Só nos últimos quatro anos, foram construídos 12 novos reservatórios.
 
 O índice de perdas baixo também é um dos motivos que faz com que a cidade possa suportar a escassez hídrica por mais tempo. Cachoeiro de Itapemirim possui um dos índices mais baixos de perdas do país, inferior a 13%, o que dá tranquilidade, até o momento, para garantir que o sistema funcione de maneira efetiva.
 
Neste sábado (17), com o objetivo de sensibilizar ainda mais os cachoeirenses, a concessionária inicia uma campanha na mídia, envolvendo, rádios, jornais, revistas e internet. As peças publicitárias trazem a seguinte mensagem: “Neste ano choveu pouco em Cachoeiro e isso reduziu muito o nível do nosso Rio Itapemirim. Mais do que nunca, precisamos estar Juntos, Juntos Pela Água! A Odebrecht Ambiental reforça seu compromisso em prestar um serviço cada vez mais eficiente. E a comunidade é nossa parceira adotando práticas inteligentes de consumo”.  
 
Itapemirim e Marataízes
 
Desde o mês passado, os moradores de Marataízes e Itapemirim estão sofrendo com a falta d’água na região. O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), que atende as duas cidades, tem suspendido, pelo menos duas vezes por dia, o abastecimento de água. Como o nível do rio Itapemirim está baixo, o mar está invadindo o rio.
 
O desligamento das bombas acontece, geralmente, durante a manhã à tarde ou na madrugada, e desde o início do mês de agosto. De acordo com nota do SAAE, os desligamentos serão diários, até a normalização da situação do rio Itapemirim, e pede ainda a colaboração da população, evitando desperdícios de água.
 
Por meio de nota, a Prefeitura de Marataízes informa que existe um projeto em andamento para fazer uma nova captação de água, que será retirado água cinco quilômetros acima do que é captado hoje pelo SAAE.
 
O projeto prevê um investimento de R$ 6,3 milhões, que será igualmente dividido entre os municípios de Marataízes e Itapemirim, e está em fase de convênio. Será feito um pedido para a Câmara de criação de crédito especial para isso. Ou seja, incluir essa despesa que não estava prevista no orçamento aprovado no ano passado.
 
Além disso, o SAAE tem um projeto que prevê uma tarifa um pouco mais cara para quem consome mais que 500 litros de água por dia. A proposta já foi feita e está sendo analisada na Prefeitura. Se for adiante será feito um projeto de Lei, que será enviado para a Câmara regulamentando as tarifas.
 
Em Marataízes, a lei municipal nº 1.847 proíbe o uso de água tratada canalizada para lavar calçadas e vias públicas na cidade. A lei prevê que a limpeza de calçadas e vias públicas somente deverá ser feita através de varredura e recolhimento de detritos ou através da utilização de baldes, panos molhados ou escovão, sendo expressamente vedada lavagem com água tratada canalizada, exceto em casos que sejam imprescindíveis, como eliminação de material contagioso ou outros que tragam danos à saúde.
 
O descumprimento das normas sujeitará o infrator ao pagamento de multa no valor equivalente a um quarto (¼) do salário mínimo vigente. No entanto, se tratando de uma lei nova, o município está fazendo adequações regulamentando o que diz respeito à fiscalização, para que a Prefeitura possa efetivamente fiscalizar.
 
Já em Itapemirim, Prefeitura informou, por meio de nota, que a Secretaria de Meio Ambiente está elaborando uma minuta de lei para estabelecer regras e proibições relativas ao uso da água. Porém, atualmente o município segue as recomendações das Instruções Normativas da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh).
 
Entre as propostas que serão apresentadas na minuta está a obrigatoriedade do reuso e captação de água pluvial em empreendimentos com alto consumo, assim como para obrigatoriedade de obras públicas contemplarem sistemas captação, recirculação e reaproveitamento de águas pluviais e efluentes.
 
Vargem Alta
 
No município de Vargem Alta, a situação também é crítica. A zona rural é a mais afetada. Na tarde da última quinta-feira (15), o SAAE emitiu um comunicado para a população em que diz que as nascentes responsáveis pelo abastecimento de água na comunidade de Prosperidade secaram.
 
Os moradores da localidade estão sem água. Com o auxílio do caminhão pipa da prefeitura, o SAAE está captando água do rio Fruteiras para tratamento e reposição da unidade de abastecimento.
 
Ainda, de acordo com o comunicado, a medida ‘emergencial’ não compromete a qualidade da água, tendo em vista que todos os procedimentos necessários para o tratamento e análise estão sendo realizados. O SAAE orienta que a população deve economizar, fazendo uso racional e evitando desperdícios.
 
Atílio Vivácqua
 
No município de Atílio Vivácqua, o rio Muqui do Norte, afluente do rio Itapemirim, que corta a região está com a vazão muito a baixo normal, e por isso, a concessionária responsável pelo abastecimento de água e esgoto na cidade, precisou mudar a captação de água para o rio Sumidouro está com baixo volume.
 
Por causa do longo período de estiagem, a produção agrícola do interior do município, que movimentava R$ 22 milhões por ano, teve queda de 30% na produção em 2016.
 
Previsão do tempo
 
O Sistema de Informações Meteorológicas do Incaper não faz previsões para 15 dias, mas para os próximos dias, não há chuva para a região. Neste sábado (17), será de sol e pouca nebulosidade na maior parte do estado. Não há previsão de chuva para as demais áreas do estado. O vento sopra com até moderada intensidade no litoral metropolitano e litoral sul.
 
O domingo (18) tem pouca formação de nuvens sobre o Espírito Santo. Não chove nas demais localidades capixabas e o ar fica abafado. No litoral sul, algumas rajadas podem ser fortes.
 
Segunda-feira de sol e poucas nuvens no Espírito Santo, sem condições para chuva e com ar abafado. Vento moderado no litoral.
 
 
Fonte: Folha Vitória

Publicado: 23/09/2016


© 2018 Copyright - Coopgraneis